terça-feira, 23 de outubro de 2012

Passou por Aqui - Caetano de Domênico - Treinador


Caetano de Domênico foi um dos melhores treinadores da história do Nacional-SP. Nascido em Messina na Itália teve uma vida longa (1896-1995). Começou a carreira dentro do futebol paulista como jogador na várzea, por volta de 1912, foi "HALF-DIREITO" do Ypiranga A.C no final dos anos 10 e jogou também no São Bento da capital paulista. Depois de deixar de ser jogador virou um técnico de prestígio. Como treinador dirigiu notóriamente o Santos nos anos 30 e de forma brilhante o Palmeiras nos anos 40.

Mas foi durante os anos 40 e 50 que ele entrou para a história do clube da Barra Funda, sendo uma pessoa querida na memória de todos dentro do Nacional-SP, onde treinou o time na época que ainda se chamava São Paulo Railway Athletic Club, e que mudou o nome para Nacional Atlético Clube após a nacionalização das ferrovias.

Era adepto do esquema de jogo que ele batizou de "CERRADINHA", na qual montava duas linhas de quatro jogadores na defesa, um jogador no meio e um no ataque, conseguindo bons resultados entre os anos de 30 e 40.

Caetano de Domênico 1o de pé da esquerda pra direita.

HISTÓRIA CONTADA POR RUBENS MINELLI


- O técnico Caetano de Domenico, então, resolveu escalar o seu Nacional da rua Comendador Souza só com jogadores brancos, segundo ele, mais disciplinados taticamente. A cada jogo, uma lavada. E, a cada jogo, ao descer para o vestiário, o crioulo Charuto, ícone do clube, sussurrava ao ouvido do técnico: “É preciso pintar esse time”. Até que de Doemencio explodiu: “Pintar como, Charuto?”. Charuto: “Pintar de preto, seu Caetano”.

Seu Caetano pintou o Nacional de preto, e o time melhorou. Mas, continuou na lanterna, até o final do campeonato, como, aliás, era de seu hábito nos anos 50, com brancos, pretos ou marrons. Moral da história: o talento, como todas as virtudes e defeitos, não tem cor.