sábado, 27 de abril de 2013

Após 4 anos Nacional estréia na última divisão tentando se livrar do abismo.

Por Deivid Silva


O Nacional é conhecido por muitos como um time simpático da capital paulista, para outros como um dos fundadores da Federação Paulista de Futebol e ainda para alguns um clube pioneiro no esporte em solo brazuca tendo em vista que o Nacional surgiu do antigo São Paulo Railway sendo este o time que realizou a primeira partida oficial conhecida na história do futebol brasileiro. Pois bem o tempo passou e hoje o Nacional com seu time profissional se encontra na última divisão do campeonato paulista, competição essa que para muitos treinadores e jogadores é considerada o inferno e a competição mais difícil talvez no futebol brasileiro.

Passado Recente
O Nacional foi rebaixado no ano de 2009 quando na então série A-3 ficou na 19a colocação na frente apenas do União Mogi, de lá pra cá na última divisão o time caiu na 4a fase na edição 2010, fez sua pior campanha da história em 2011 ficando em 43o lugar entre 44 clubes caindo na primeira fase, e em 2012 caiu na 3a fase da competição.

Novos Rumos
Tentando remar contra a maré que se encontra os clubes de menor investimento, o Nacional firmou em outubro do ano passado uma parceria para gestão do futebol profissional no clube com a empresa KNOW-HOW BRASIL, grupo esse que já trabalhou em outros clubes de São Paulo como a Ferroviária de Araraquara. A parceria visa em seu primeiro ano o acesso a divisão A3 do campeonato paulista e a longo prazo a volta a elite do futebol paulista e para isso vem investindo forte em novos jogadores e comissão técnica, abaixo segue a formação da diretoria que hoje atua na frente do futebol do Nacional Atlético Clube.


Comissão Técnica
Pra começar Paulo Tognasini saiu do comando técnico da equipe e se tornou diretor de futebol da parceria dando lugar para o experiente Toninho Moura que ganhou a série A3 com o clube em 1994 alem de ter conquistado o mesmo título com o Taubaté em 2003 além da série A2 com a Inter de Limeira em 1996, experiência é o que não falta ao treinador já rodado e com diversos acessos em sua carreira. Betinho que era o treinador do SUB-17 e deu lugar a Marcel já que voltou a ser o preparador físico da equipe profissional.

Elenco
Como a última divisão do campeonato paulista os clubes só podem por jogo ter apenas 3 jogadores acima de 23 anos, todas equipes investem em jovens jogadores geralmente desconhecidos do público que não acompanha as divisões de baixo, o Naça conta com cinco jogadores apenas acima desta faixa-etária dentro do seu elenco que hoje conta com 25 jogadores, novos rostos se misturam a garotos da base e a experientes jogadores dentro da equipe.

Chegaram no Clube
Washington (Atacante)
Murillo (Meia)
Thiago Cruz "Ganso" (Meia-Atacante)
Cesinha (Volante)
Lucas Matheus (Meia-Atacante)
Felipe Lacerda (Goleiro)
Victor Tamandaré (Zagueiro)
Bruno Silva (Meia)
Felipe Silva (Volante)
Jean (Atacante)

Permaneceram no Clube
Victor Sapo (Atacante)
Jobert (Zagueiro)
Léo Coelho (Zagueiro)
Alysson (Zagueiro)
Guilherme (Zagueiro)
Edi (Volante)
Romário (Lateral)
Negueba (Atacante)
Carlão (Goleiro)
Ronaldo (Atacante)
Claytinho (Meia)

Alguns atletas da equipe sub-20 integram neste início de temporada.

Rivais e sistema de disputa

Nesta primeira fase o Nacional está no grupo 6 juntamente com as equipes do AD Guarulhos, SEV-Hortolândia, Primavera e Sumaré. Nesta fase se classificam os três primeiros dos oito grupos totalizando 24 clubes na segunda fase quando se dividem em seis grupos de 4 clubes cada. O Nacional é tido pelos jornalistas e torcedores que acompanham esta divisão como um dos favoritos ao acesso neste ano.

Finalizando
O clube tenta apagar a imagem ruim que deixou nos últimos três anos e para isso conta com a presença da torcida em seus jogos em casa, conforme determinação da federação o valor mínimo dos ingressos nas partidas desta divisão devem ser no valor de R$10, os jogos em sua maioria são aos sábados a tarde e aos domingo pela manhã e a tarde.